segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O objetivo

Não quero imagem
nem corpo.
Eu quero alma.

Alteridade,
profundidade,
quero alcançá-las.

Cada pessoa,
cada passagem,
são tatuagens.

Mas no exterior
é fraca a dor —
e elas somem.

Cravar um nome
por dentro
leva-se tempo.

E é lá que quero chegar,
o último patamar:
o coração.

Assim, minhas palavras
serão lembradas.
Querendo ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário